o-sapo-foi-ao-kilamba-curtir-o-festival-tigra-beats

Salvador Sobral já teve alta hospitalar

O músico, que venceu o festival Eurovisão da Canção 2017, tinha sido submetido a um transplante cardíaco a 8 de dezembro, no Hospital de Santa Cruz, em Carnaxide, Oeiras.

Salvador Sobral, 28 anos, "fez uma recuperação muito satisfatória e sem complicações", refere o centro hospitalar, sublinhando que se mantém "a restrição de exposição a grande número de pessoas".

Depois de dar a Portugal a primeira vitória no festival, Salvador Sobral embarcou numa série de concertos de norte a sul do país. Pelo meio, já depois de ter ganhado o festival Eurovisão, o músico lançoua ainda o projeto Alexander Search, em parceria com o pianista Júlio Resende, em torno da poesia de um dos heterónimos de Fernando Pessoa.

Em setembro, Salvador anunciou que iria fazer uma pausa na carreira, por motivos de saúde e por tempo indeterminado. "Já não é segredo para ninguém que a minha saúde é frágil. Tenho um problema e chegou infelizmente a altura de me entregar - entregar, digamos, o meu corpo - à ciência e, consequentemente, ausentar-me da vida de concertos e de música no geral. Sair um bocado deste mundo dos civis e ir para um outro onde, certamente, este problema será resolvido. Infelizmente não sei quanto tempo vai demorar", explicou o músico nas redes sociais, agradecendo ainda todo o apoio dos fãs.

Depois de três meses de internamento, a 8 de dezembro o cantor foi submetido a um transplante de coração no Hospital Santa Cruz, onde irá passar o dia de aniversário.

O vencedor do Festival Eurovisão da Canção abandonou os cuidados intensivos a 24 de dezembro de 2017. "Nesta época festiva partilhamos convosco notícias que nos alegram a todos: o Salvador Sobral já abandonou a Unidade de Cuidados Intensivos, encontrando-se agora nos Cuidados Intermédios”, revelou a assessoria do cantor em comunicado partilhado no Facebook.

$$related-post$$

A vitória no festival Eurovisão da Canção em 2017, com a canção "Amar pelos dois", escrita pela irmã Luísa Sobral, deu maior visibilidade nacional e internacional a um músico que conta com vários anos de carreira e que editou o álbum a solo "Excuse me" e o projeto Alexander Search, em parceria com o pianista Júlio Resende.

Em dezembro, já depois da intervenção cirúrgica, Salvador Sobral lançou o disco “Excuse Me ao vivo”.

$$facebook$$

Salvador Sobral terminou 2017 como um dos premiados dos European Border Breakers Awards e a ser reconhecido, juntamente com a irmã Luísa Sobral, como personalidade do ano pela Associação da Imprensa Estrangeira em Portugal.

O gosto pelo jazz e um modo inquieto de estar na música

Salvador Sobral nasceu em Lisboa, em 1989, ouvia música desde criança e, numa entrevista ao El País, recordou as viagens em família, as canções partilhadas com os pais, dos Beatles, dos Genesis, de Simon & Garfunkel e John Lennon, sobretudo clássicos dos anos de 1960/70, e as harmonias feitas com a irmã.

$$caption$$

O primeiro concurso de talentos surgiu na sua vida aos dez anos, um Bravo, Bravíssimo, na SIC, onde voltaria aos 18 anos, para o Ídolos. A experiência ficou para trás, dedicou-se a um curso de Psicologia e a um Erasmus em Maiorca. Para ganhar dinheiro, começou a cantar em bares. E foi aí que tudo mudou.

Descobriu Chet Baker, através de um guitarrista argentino com quem cantava: "Deslumbrou-me. Parecia uma angústia misturada com esperança, com melancolia, tudo numa só pessoa. Identifiquei-me totalmente com ele e com o seu estilo", disse na entrevista ao jornal espanhol El País, publicada no passado dia 16 abril.

$$related-post-2$$

O curso de Psicologia deu lugar ao de Música, e Maiorca a Barcelona, onde, em 2014, começou a atuar com a banda Noko Woi, com quem atuou no festival Sonar. Um ano mais tarde seria uma voz na programação dos festivais Mexefest e, no seguinte, entraria no Cool Jazz.

Na altura tinha já publicado "Excuse me", o álbum de estreia que chegou às lojas em março de 2016, com uma sonoridade marcada pelo jazz e pela pop.

O disco resume os gostos do cantor, as suas referências, entre as composições escritas por si mesmo, com Leo Aldrey, às quais juntou versões de "Autumn in New York", de Vernon Duke, um 'standard' do jazz, ou "Nem eu", de Dorival Caymmi.

O disco inclui igualmente "I might just stay away", canção escrita por Luísa Sobral, inspirada na obra do trompetista Chet Baker, uma das principais referências do cantor.

Em "Excuse me", Salvador Sobral surge em quarteto, acompanhado por Júlio Resende (piano), que coproduziu o disco, André Rosinha (contrabaixo) e Bruno Pedroso (bateria).

Cantor é a personalidade do ano para a Euronews

$$caption-2$$

Salvador Sobral foi eleito a personalidade do ano da cultura pelos leitores da Euronews. Na votação levada a cabo no Facebook, o vencedor do Festival Eurovisão da Canção somou 64% dos votos, ficando à frente da dupla Dorota Kobiela e Hugh Welchman (12%), Adele (9%), Kazuo Ishiguro (11%) e Hito Steyerl (4%).

No site oficial, o canal recorda que Salvador Sobral venceu o Festival Eurovisão da Canção com "Amar Pelos Dois", tema composto pela sua irmã, Luísa Sobral. A Euronews relembra ainda que o músico defendeu os direitos dos refugiados antes da primeira semifinal do festival e que doou as receitas das vendas do seu disco aos bombeiros portugueses.

No final do mês passado, Salvador Sobral foi anunciado como um dos premiados dos European Border Breakers Awards (EBBA), uma distinção para "artistas emergentes" que, nos últimos meses, tiveram sucesso na Europa.

Fechar Voltar